sábado, 25 de janeiro de 2014

- TU ÉS BRISA - *




- TU ÉS BRISA - *

Como brisa suave chegaste,
não "vento revolto",
com turbilhões ou medos.
Mas brisa silenciosa,
suave, acariciante,
"Sem perturbar meus pensares".

Como brisa suave,
lenta, doce, delicada.
Com um pensar ligeiro,
aqui passaste...
E no abraço final, que me deste,
levaste o meu coração.

Mas juro que neste abraço
levaste contigo minha alma,
mas escondido comigo,
ficou também o teu coração.

Com ele, irei afastar "nuvens densas"
fazendo ficar um céu mais azul,
e buscar-te, no meu mais doce olhar perdido,
como brisa suave, a acariciar meus cabelos,
quando na praia saudosa, eu estiver a pensar.

Quero-te "brisa"...
Sem "turbilhões", em silêncio.
Quero cruzar roseirais,
sentir muito o teu perfume,
e muito em silencio te amar.

Quero-te "brisa suave"...
Abraçar-te e o teu rosto, beijar.
Sentir teu perfume profundo,
acariciar o teu rosto bondoso,
e somente contigo ficar.

Quero-te "brisa suave"
ver-te sempre, sem turbilhões,
sem frios, sem chuvas, sem gelo...
Quero ver-te em silêncio,
em dias claros de sol.
Amar-te muito na praia, em silêncio,
amar, amar, apenas amar,
na brisa suave do Mar!

Leinecy Pereira Dorneles.
Cassino- Rio Grande -RSUL.