segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Sinto tudo como se fosse real.


Sinto tudo como se fosse real. 
Sou um produto da ilusão, 
Uma essência feita de sentimentos. 
Abrigo o mundo no coração
Para o coração não se abrigar deste mundo. 
Meu crânio pesa-me pois está carregado de sonhos
E nestas asas que, hoje, estão rasas, completamente recolhidas, 
Continua vincada a esperança nunca perdida. 

É certo que a dor desgasta, 
Que a tristeza tortura, 
Que o tormento arrasa 
E que cada sonho abolido 
É mais uma cicatriz aberta
Numa ferida nunca fechada. 

É certo que o tempo tem pressa, 
Que a vida empurra sem olhar para trás, 
Que o destino é cruel e brincalhão,
Que esquecemos o presente 
Porque vivemos no passado a pensar no futuro. 

Mas também é certo que, 
A cada partida há uma chegada. 
Uma lágrima caída é semente para um novo sorriso. 
A tristeza é uma experiência para ser vivida
E a dor, se for por amor, que venha por favor. 

De facto, sinto tudo como se fosse real. 
Sou um sonho de sentimentos, 
Sou um anjo cheio de amor
E no que à vida me diz respeito, 
Se ela não foi feita para ser sentida, 
Seja na angustia ou na euforia, 
Então não cá estou a fazer nada, 
Adeus já estou de partida. 

RP / Rogerio Carreira