segunda-feira, 24 de março de 2014

Naquele olhar...




Naquele olhar...

Se procuro definir o encanto,
ainda lembro-me tanto
dos segundos de espanto
em que me vi naquele olhar.

Paralisei n‘alguns instantes,
tudo ali ficou distante,
diante do brilho hipnotizante
num azul de invejar...

Como era imenso aquele mar...
Tranqüila em primeira viajem,
naveguei sem hesitar.
Um breve e inesquecível velejar.

Marcas que o tempo de mim
ainda não conseguiu apagar.
Me percebo em puro encanto
quando a saudade vem visitar,

sinto na alma a ânsia de navegar.
Quando noto que apesar do tempo
o coração continua atracado ao peito
esperando pelo dono daquele olhar.

Anna Carvalho