quarta-feira, 1 de abril de 2015

O amor...





O amor...

Me conte se já souber o que é.
Me mostre se estiver ao alcance da visão.
Desenhe, se souber sua forma, seu designer.
Toque se for consistente.

Se for uma planta... Regue-a
Se for um poema... Recite-o
Se for uma cor... Pinte.
Se for melodia... Cante.
Se for uma lembrança... Emocione-se
Se for um sentimento... Apenas sinta, mas faça isso com intensidade, para que você nunca esqueça o que é o amor. Mesmo que jamais consiga explicá-lo. Por que os mais intensos sentimentos podem apenas ser sentidos, fazendo com que a compreensão deles seja possível apenas para um coração conquistado.

Gil Façanha