segunda-feira, 20 de julho de 2015

COBIÇADA SOLIDÃO


COBIÇADA SOLIDÃO

Vontade insana de solidão!
Um desejo de mergulhar pra dentro,
de me esconder do tempo,
e de esquecer do mundo.
É uma abalável urgência de remanso,
de retiro da alma, do exaurir de mente.
Quero desmerecer esse sorriso parco
imposto pelas exigências dos dias.
Quero a beleza da alegria perene,
do silêncio solene que me permita,
ainda que por um momento apenas,
dizer adeus a aflição que me causa
ao ter a humanidade todos os dias
tentando me coagir a ser menos
do que sou... ou mais do que almejo ser.

Gil Façanha