terça-feira, 10 de maio de 2016

Como uma flor que não floresce



Como uma flor que não floresce
como uma sede que não recua
como uma sombra que não desaparece
como uma rua
que perdeu a idade
como um silêncio abismado
como uma saudade
que me segue a todo o lado
como uma balsa que flutua
numa ilha da cidade
Como uma ave que em ti pousa
num rasgo inusitado
como a terra em pousio
à espera do pecado

E como as vestes que não tenho
e o sol que não me toca
nem ilumina
como esse amor sem tamanho
nesses olhos de menina

e assim lentamente te absorvo
como se te bebesse o sangue
feixe imenso de luz
em mim resplandecendo
cravo nascido rubro e torto
pelas veias do meu ciume
em mim te guardo..incólume!

* são reis *